Dicas para futuros engenheiros entrarem no mercado de trabalho

A área de engenharia é muito vasta. As modalidades do setor são múltiplas e tendem a crescer ainda mais. Um profissional da área da engenharia precisa está em constante renovação de seus conhecimentos para não ficar desatualizado. O processo de aprendizagem deve ser contínuo e permanente diante de tantas inovações que surgem a cada dia.

O mercado de trabalho para os novos engenheiros                         

O mercado de trabalho para os novos engenheiros está cada vez mais exigente e requer novas habilidades, atitudes e diferenciais para uma inserção promissora na realidade profissional dos recém-formados. O mercado de trabalho segue os rumos da economia, portanto, se a economia está crescendo, a demanda por profissionais também aumentará. Além disso, as inovações tecnológicas são o “boom” do novo século, e estão sempre em transformação, o que também surtirá efeito em outras áreas.

Perfil do novo profissional de engenharia

Engana-se quem pensa que as habilidades dos novos engenheiros resumem-se ao seu desempenho com os cálculos de matemática e física durante a execução do trabalho. As empresas buscam cada vez mais profissionais dinâmicos, inovadores e competentes na função que desempenham. As habilidades observadas pelas empresas nos novos engenheiros seguem três aspectos: o técnico, o curricular e o comportamental. O novo profissional da engenharia deve ser flexível, equilibrado e agir com liderança e respeito no ambiente profissional.

O que as empresas buscam no processo de recrutamento e seleção de novos engenheiros  

 

Algumas habilidades, atitudes e competências exigidas pelo mercado de trabalho para o novo engenheiro

Dificuldades mais comuns enfrentadas pelo profissional recém-formado

As maiores dificuldades apontadas pelos profissionais recém-saídos das universidades é aliar o conhecimento adquirido durante os 5 anos de curso com aspectos humanísticos e de inovação.

Os novos engenheiros, muitas vezes, apresentam dificuldades nas relações humanas inerentes ao bom relacionamento e adaptação no ambiente de trabalho. Outra questão diz respeito aos fatores de empreendedorismo como aspectos facilitadores do contexto profissional.

Portanto, ser formado em uma faculdade nunca será o suficiente para formar um bom profissional e sim todas as suas habilidades, competências e desejo de ser melhor dia a pós dia! 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.