Teste de estanqueidade significa verificar se algo está estanque, hermético, sem vazamento. Um teste de estanqueidade em tubulações de gás, tem como objetivo examinar o sistema de forma a garantir que não há nenhum vazamento. Trata-se de um procedimento obrigatório para proporcionar efetividade e segurança ao sistema.

Vazamentos de gás podem expor as pessoas a graves consequências. Além do risco de explosões, o fluido que se acumula no ambiente pode causar morte por asfixia. Entretanto, com um simples teste, é possível prevenir tal ocorrência e, dessa forma, preservar a saúde e a integridade de todos os usuários do sistema.

Nesse artigo, iremos entender a importância de fazer o teste de estanqueidade nas tubulações de gás, como é possível fazê-lo e qual sua validade.

O que é afinal o teste de estanqueidade

O teste de estanqueidade, como o próprio nome sugere, consiste em testar um sistema de gás encanado, antes que se comece a utilizá-lo ou sempre que houver suspeita de vazamento. Trata-se de um procedimento realizado com ar comprimido, que não representa riscos caso se detecte um vazamento. Isso porque, ainda que a tubulação tenha sido corretamente instalada por profissionais qualificados, ela não está 100% isenta de problemas.

ensaio de estanqueidade em BH

Por que o teste de estanqueidade no sistema de gás é importante?

Primeiramente, consideremos que o teste de estanqueidade é uma exigência do Corpo de Bombeiros, segundo o qual ele é a única maneira de garantir que não existe vazamento de gás em um sistema. Não estamos falando de algo opcional ou destinado apenas a ocasiões nas quais suspeita-se de algum problema. É uma medida preventiva e uma forma de manter-se em dia com as leis. Você cuida da segurança dos usuários e ainda evita problemas em caso de fiscalização.

Muitas pessoas acreditam que não precisam fazer o teste de estanqueidade nas tubulações pelo simples fato de não sentir cheiro de gás no seu apartamento ou prédio, mas a maioria dos acidentes ocorre em vazamentos que não são detectados a tempo. Como exemplo, podemos citar o Shopping de Osasco, onde muitas tubulações construídas de forma errada passavam por dentro de forros de gesso e outros ambientes que podem gerar confinamento. Junto com ar atmosférico e uma simples ignição, como acender uma lâmpada podem ocasionar um sério acidente.

Como o teste de estanqueidade em tubulações é realizado?

O teste de estanqueidade em tubulações acontece como um ciclo com base em quatro fases fundamentais:

teste de estanquiedade

1- Enchimento por pressurização da tubulação que está sendo testada – O primeiro procedimento consiste em inflar ar comprimido na tubulação;

teste de estanquiedade

2- Verificação das conexões – Logo após, observa-se as conexões, para verificar se há vazamentos na emendas e se todos os registros e válvulas estão fechados;

teste de estanquiedade

3- Tempo de espera para a acomodação do fluido de teste – Após algum tempo, a pressão no interior do sistema vai se estabilizar. É a partir dessa estabilização que você deve observar as possíveis alterações;

teste de estanquiedade

4- Análise da pressão – É necessário verificar se manteve constante ou houve uma queda eventual em um intervalo de tempo, o que caracterizaria saída do ar, um grande indicativo de vazamento.

Teste de estanqueidade com nitrogênio

Além do ar comprimido, o nitrogênio é uma boa opção para realizar o teste de estanqueidade. Isso porque trata-se de um gás inerte, ou seja, que não é inflamável, não pode ser considerado combustível e não reage quando em contato com certos componentes do sistema. Dessa forma, trata-se de uma maneira segura de realizar o teste, já que, ainda que haja vazamentos, o fluido não traz o risco de explosão.

Além disso, ainda que o teste de estanqueidade tenha sido realizado com outros fluídos, o gás inerte serve para limpar todo o sistema após o teste, antes de colocá-lo em uso. Dessa forma, elimina-se os resíduos que possam ter se acumulado em seu interior e evita-se que ocorram reações químicas, que colocariam todo o processo em risco.

Qual a validade do teste de estanqueidade conforme as normas vigentes ?

video de manutenção em gás

O teste de estanqueidade é o passo seguinte à instalação do sistema. É importante realizá-lo antes que se inicie o uso para verificar se há algum problema, que precisará ser solucionado antes de liberar para o gás.

Além disso, na norma NBR 15358 (Redes de distribuição para gases combustíveis em instalações comerciais e industriais – Projeto e execução) encontramos a seguinte informação:

4.3 Inspeção periódica

A inspeção periódica deve ser realizada em períodos máximos de 12 meses, podendo variar para menos em função de riscos decorrentes das situações construtivas e de uso de acordo com avaliação e registros realizados pelo responsável da inspeção. Em caso de indícios de vazamento de gás, deve existir inspeção imediata da rede de distribuição interna.

Ela é realizada através de verificações, a que deve ser submetida a rede de distribuição interna, destinadas a manter o correto desempenho de todos os seus componentes, constando também as providências a serem tomadas para execução da manutenção preventiva naqueles componentes que possuem vida útil pré-estabelecida ou que possivelmente poderiam apresentar problemas de fadiga, regulagem ou funcionamento.

Além disso, deve registrar os resultados e as tarefas que precisam ser executadas com a definição dos respectivos responsáveis, de forma que seja mínima a possibilidade de ocorrer alguma falha de qualquer dos componentes da rede de distribuição interna, uma vez colocada em funcionamento.

Qual o objetivo da inspeção periódica?

Ainda conforme a norma, a inspeção periódica tem como objetivo garantir que:
  1. a tubulação e os acessórios encontram-se com acesso desobstruído e devidamente sinalizado;
    b) todas as válvulas e dispositivos de regulagem funcionam normalmente;
    c) tubos, conexões e interligações com equipamentos e aparelhos não apresentam vazamento;
    d) as tubulações estejam pintadas totalmente, inclusive com relação aos suportes empregados;
    e) sinalização utilizada nos pontos de interesse esteja conforme o especificado;
    f) os dispositivos de controle de pressão usados nas tubulações tenham sido verificados quanto à sua eficácia e ao seu funcionamento;
    g) o funcionamento de todos instrumentos e medidores instalados tenham sido verificados e calibrados;
    h) a inspeção dos pontos com flanges e plugs/caps da rede. O resultado da inspeção deve ser registrado e estar disponível para verificação junto à documentação técnica da rede de distribuição interna.

Que outras leis regem o assunto?

Já na NBR 15526 (Redes de distribuição interna para gases combustíveis em instalações residenciais e comerciais — Projeto e execução) encontramos a seguinte recomendação:

4.6 Inspeção periódica

Recomenda-se que sejam realizadas inspeções periódicas na rede de distribuição interna. Caso sejam realizadas, recomenda-se que aconteçam em períodos máximos de cinco anos, ou de acordo com definição da autoridade competente, podendo variar para menos em função de riscos decorrentes das situações construtivas, das condições ambientais (em especial aquelas sujeitas a atmosfera corrosiva) e de uso, de acordo com avaliação e registros realizados pelo responsável da inspeção.

E não há somente normas que tratam da periodicidade. Também existem normas a respeito de outros aspectos do teste de estanqueidade. Nesse rol, podemos citar ainda a NBR 15571 que fala sobre vedação de passagem de gases pressurizados. Assim, ela aborda o teste de estanqueidade como a única forma de saber se há mesmo um vazamento, além de ser uma exigência do Corpo de Bombeiros. Seu tema principal diz respeito a “ensaios não destrutivos e detecção de vazamentos. Ela traz o método de realização do teste, além de seus principais objetivos e particularidades.

E se um vazamento for detectado?

Caso a pressão no interior do sistema diminua durante a pressurização, teremos um indicativo de vazamento. Dessa forma, o mesmo deve ser localizado e reparado imediatamente. Em seguida, prossegue-se com o teste para verificar se foi solucionado. Colocar um sistema em uso, seja ele recém instalado ou restabelecido após um teste periódico ou a correção de um vazamento demanda responsabilidade. Também é necessário assegurar-se de que todas as possibilidades de vazamento sejam descartadas.

Vale lembrar que o cheiro de gás é o principal indício de vazamento no sistema, mas ele não é o único (e pode não estar presente em todos os casos). Discrepâncias no valor da conta de gás sem que tenha ocorrido alteração nos hábitos de consumo também podem indicar que há algo de errado com o sistema. Aliás, qualquer evento incomum sugere o contato com uma assistência técnica para realizar o teste.

O teste é o primeiro passo após suspeita de vazamento?

Não! Diante de qualquer suspeita, é necessário tomar algumas medidas de segurança ainda antes de ligar para a assistência técnica. Primeiramente, é necessário fechar todos os registros e, de forma alguma, acender luzes ou ligar aparelhos eletrônicos. Em seguida, você e todas as outras pessoas devem deixar o local para só então ligar para a empresa.

A empresa, por sua vez, vai realizar o teste de estanqueidade de imediato, visto que ele é o único meio de saber se há mesmo o vazamento. A identificação e solução precoce são os meios mais seguros de evitar acidentes pelo acúmulo de gás, uma vez que o fluído continua vazando até que o problema seja sanado.

ensaio de estanqueidade em BH

Conclusão sobre teste de estanqueidade em tubulações de gás

Conforme visto acima para comércio e indústria o período máximo do teste de estanqueidade é de 1 ano. Já para estabelecimentos residenciais, o prazo MÁXIMO é de 5 anos ou de acordo com órgão competente (Corpo de Bombeiros) ou profissional habilitado (Engenheiro).

Para condomínios, devemos prestar atenção pois existem 2 situações importantes:

1º Corpo de Bombeiros – No estado de Minas Gerais eles não informam uma data precisa para realizar o teste de estanqueidade, mas informam que o laudo de estanqueidade só tem validade de um ano. Então, subtende-se que o mesmo deve ser realizado anualmente;

2º Profissional Habilitado – O engenheiro possui fé pública e capacidade técnica para determinar um período seguro do teste de estanqueidade para cada situação, levando em conta o material utilizado e as condições da instalação.

Quem chamar para fazer um teste de estanqueidade na sua tubulação?

Para fazer o teste de estanqueidade, sempre chame uma empresa com registro no CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia), e que possua ao menos um engenheiro em seu quadro de funcionários. Além disso, confira as informações da empresa de engenharia e do engenheiro que podem ser encontradas no site do CREA, siga os passos abaixo:

Lembre-se de que todas as instalações de gás devem ser realizadas por um instalador de gás habilitado com supervisão de um engenheiro.

O que a ART me garante?

A ART (Anotação de Responsabilidade Técnica) é um documento que assegura que o profissional que assinou possui registro em um órgão competente CREA. Além disso, ela é um contrato entre fornecedor, cliente e órgão fiscalizador.

Proteção para você

A ART é realmente proteção para você, se ocorrer algum problema mais tarde. Se os problemas são o resultado de fabricação defeituosa, o instalador de gás deve corrigir o defeito. É para isso que servem os testes realizados.

Que empresas fazem teste de estanqueidade em Minas Gerais?

Se você está em Minas Gerais e precisa fazer um teste de estanqueidade em seu sistema, entre em contato com a RW Engenharia. Experiente no mercado, a empresa atua nos segmentos de engenharia mecânica e elétrica, além de oferecer soluções sustentáveis para empresas que trabalham com água de reuso.

Aliás, se você ainda não tem um sistema de gás encanado, a RW engenharia pode realizar o seu projeto, a instalação e o teste de estanqueidade. Nossos princípios se baseiam na ética e responsabilidade, e estamos dispostos a negociar as melhores condições com transparência e confiabilidade.

Como se pode ver, o teste de estanqueidade é uma etapa necessária para colocar um sistema de gás encanado em funcionamento. Se este artigo foi útil para você, não deixe de ler também alguns outros sobre o tema.

Outros artigos que podem te ajudar: 

>>Cheiro de gás de Cozinha-Aprenda Tudo sobre ele! *Artigo Novo*
 >> Tubulação Aparente de Gás e Água: Saiba tudo sobre elas!  
>> Aprenda Tudo Sobre Detectores de Gás lp
>>Instalação de fogão: Aprenda tudo com a RW Engenharia

ensaio de estanqueidade em BH

 

video de manutenção em gás

 

 

32 respostas

  1. Muito bom! Execelente trabalho.
    Congratulações, ao autor desta publicação.
    Saudações.
    Engº Mecânico e de Segurança do Trabalho

  2. Muito bom, explicou geral. Li e estou sem nenhuma dúvida, parabéns se todas as informações de blogs fossem assim não perderíamos tanto tempo em pesquisas que não nos acrescentam em nada.

  3. Excelente artigo, muito bom!
    Eng.° Mecânico e de Segurança do Trabalho.
    Conteúdo bastante coerente e bem explicado.

  4. Gostaria de tirar uma dúvida,
    O inspetor de Equipamentos pode assinar como responsável o teste de estanqueidade???

  5. Oi Felipe, maravilhoso seu artigo!

    Só uma dúvida, num prédio comercial, cada loja é obrigada a ter sua própria central de distribuição de gás, ou geralmente, é uma central
    para o prédio todo?

    Muito obrigada e agradeço sua resposta.

    Leila

    1. Olá Leila,

      O prédio pode fazer uma central única, ou várias centrais, depende do projetista.
      Mas o que vai garantir a segurança da instalação é a aprovação no Corpo de Bombeiros (projeto de combate a incêndio)
      O dimensionamento e a forma de uso do sistema depende da habilidade do projetista.

      Att.

      Eng. Felipe Wagner

  6. Excelente publicação!!!
    Mais me restou uma dúvida, espero que possa me ajudar! Em um condomínio onde não existe tubulação de gás canalizado, todos usam GLP 13 kg individual. Se faz necessário solicitar e realizar o teste de Estanqueidade por parte do corpo de bombeiros ? Para emitir laudos.

        1. Prezada,

          O sistema segue com as mesmas condições técnicas, mesma pressão de trabalho,gás é o mesmo, ou seja, os riscos e exigências devem ser iguais.

          Att.
          Eng. Felipe Wagner

  7. A rede primária pode ser condenada, alegando-se vazamentos e sem a realização do teste de estanqueidade?
    Resumindo nossa fornecedora de gás condicionou o teste de estanqueidade a troca de toda a rede primária.
    Alegando perigo iminente de explosão, que segundo ela, por ter vazamentos.
    Cordialmente,
    Edson Angelo Nazario

    1. Prezado,

      O cheiro é um sinal de vazamento, nessa situação deve ser feito o teste de estanqueidade imediatamente, ele é a unica maneira de elaborar uma laudo técnico

      Att.

      Felipe

  8. Muito boa tua publicação. Excelente trabalho. Parabéns.

    Eng. Carlos Eduardo Medeiros/RS

    Podemos utilizar ar comprimido nos testes de estanqueidade de tubulações de GLP ou gas natural.

  9. Olá
    Engenheiro de produção poderia assinar o laudo de estanqueidade?
    Caso não poder, existe algum curso ou especialização que me qualifique a assinar os laudos.

  10. Bom dia eng Felipe.

    Como temos duas normas relacionadas com a validade do teste, qual vc aconselha utilizar: a NBR 15358 que diz ser um ano ou a NBR 15526 que diz ser 5 anos?
    abç
    eng césar

  11. Olá, gostaria de saber como o teste de estanqueidade é cobrado (por metro de tubulação, por quantidade de gás na central, por serviço etc).
    Obrigado!

  12. quais os itens a verificar para cobrar pelo servico de teste de estanqueidade?

    Eng. Roowzivel Adamack – Mecânica.

  13. Bom dia.
    Preciso realizar um teste de estanqueidade em uma linha de nitrogênio, onde a pressão de trabalho será de 5,5kgf/cm².
    Qual é a norma a ser utilizada para esse teste e qual procedimento se aplica?
    Obrigado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.