Sobre tubulação para gás. Neste artigo, iremos abordar quais são os principais materiais para instalação de gás natural e GLP, o processo de instalação e norma referente. Saber escolher corretamente o material baseado no tipo de instalação pode gerar economia, segurança e melhor desempenho.

Para escolha do material indicado para sua obra, você deve fazer algumas análises, entre elas:

Primeiramente, é importante orientar as pessoas de que não devemos pensar somente em tubulações e sim em sistemas (tubos, conexões, solda e ferramentas), pois até a compra de tubos e conexões do mesmo material, mas de fabricantes diferentes, pode gerar problemas de interferência, montagem e vazamentos.video de manutenção em gásNeste artigo iremos ajudar você a pensar sobre o tema. Veja abaixo os principais tópicos que iremos abordar:

Critério preliminar para escolha da tubulação de gás.

Quais materiais a norma permite para tubulação de gás?

Tubulação para gás de aço carbono:

Tubulação de cobre:

Tubos de polietileno

O sistema multicamada ou “PEX” é normatizado?

Esse sistema de multicamada é seguro?

Tubulação para gás- Quadro comparativo:

Conclusão

Critério preliminar para escolha da tubulação de gás

Primeiramente, para definir corretamente o material a ser aplicado, é necessário fazer antes de qualquer coisa um projeto conforme a NBR 15526 solicita no item 4.3 e escolher um profissional habilitado com referência. Na escolha do projetista, avalie:

Um projeto bem feito possui memorial de cálculo, lista de materiais, memorial descritivo. Trata-se de um documento que representa, no papel, tudo o que será feito na prática. Se for uma empresa que tenha experiência em execução, é ainda melhor pois sabe as dificuldades e soluções na hora de instalar. Tome cuidado com engenheiros que só têm experiência de escritório! Um profissional habilitado tecnicamente conseguirá definir qual o melhor material, cálculo de diâmetro, equipamentos e afastamentos de segurança.

O que deve ser entregue:

– memorial de cálculo e descritivo, isométrico, equipamentos, tipo de gás, etc;
– ART de projeto e execução;
– “As built” no final da obra;
– Laudo do teste de estanqueidade e ART de montagem;

As documentações devem estar no local da instalação com fácil acesso.

Quais materiais a norma permite para tubulação de gás?

Conforme item 5.1 da NBR 15526 vemos:

Tubos de aço carbono, com ou sem costura, segundo NBR 5580 no mínimo classe média, ABNT NBR 5590 no mínimo classe normal, com espessura mínima correspondente a SCH40.

tubulação para gás

Tubos de cobre rígido conforme NBR 13206

cobre

Tubo de cobre flexível, sem costura, classes 2 ou 3, conforme NBR 14745 da ABNT.

Tome muito cuidado com tubos flexíveis usados no mercado, geralmente são classe 1 e não são normatizados para tubular.

flexivel

Tubo de condução de polietileno (PE80 ou PE100), para redes enterradas. Conforme NBR 14462, esses tubos devem ser instalados fora da projeção da edificação e enterrados.

 pead tubo

Diferenças entre os materiais na tubulação

Como dissemos, a tubulação para GLP pode ser em aço carbono, cobre ou polietileno. A escolha depende da necessidade de cada um e pode ser avaliada por profissional especializado.

Tubulação para gás de aço carbono

As conexões e acoplamentos devem seguir os seguintes critérios:

Processos de instalação: Arco elétrico com eletrodo revestido ou soldagem. Devem ser executados pelos processos de soldagem com gás inerte ou ativo com atmosfera de proteção;

As conexões de aço conforme ANSI / ASME B.16.9 devem ser soldadas em tubos conforme NBR 5590.

Precisa de instalação de gás- Chame a RW Engenharia! (1)

Tubulação de cobre

O acoplamento de tubos e conexões de cobre deve ser feito por soldagem capilar (solda branda) ou brasagem capilar (solda forte):

a) conexões conforme ABNT NBR 11720 devem ser utilizadas em tubos especificados pela ABNT NBR 13206;
b) o processo de soldagem capilar pode ser usado para acoplamento de tubulações aparentes, embutidas ou enterradas em trechos de rede com pressão máxima de 7,5 kPa. O metal de enchimento deve ter ponto de fusão acima de 200 ºC;
c) o processo de brasagem capilar pode ser usado para acoplamento de tubulações aparentes, embutidas ou enterradas. O metal de enchimento deve ter ponto de fusão mínimo de 450 °C;
d) soldas e fluxos devem ser utilizados conforme ABNT NBR 15489, e o processo de soldagem deve ser conforme ABNT NBR 15345.

Tubos de polietileno

O acoplamento de tubos e conexões de PE deve ser feito por soldagem, atendendo aos seguinte requisitos:
a) solda por eletrofusão, através da utilização de conexões conforme ABNT NBR 14463 e executadas de acordo com a ABNT NBR 14465;
b) solda de topo, conforme ABNT NBR 14464.

Além das instruções contidas nas duas normas para soldagem das tubulações acima descritas, recomenda-se a soldagem com acessórios eletrossoldáveis até o DN 90 e a solda de topo tubo-tubo ou tubo-acessório polivalente para DN 110 e superiores.

OBS: Os tubos de cobre e polietileno com conexões por compressão também são permitidos e devem seguir as recomendações da NBR 15526.

Qual o melhor material para a minha tubulação?

Aqui, vale lembrar que não existe um material que seja “o melhor de todos” para qualquer tubulação. Dessa forma, o que existe é o melhor material para a sua tubulação, mas isso só poderá ser determinado por um engenheiro em visita técnica. Ele vai avaliar suas necessidades e indicar o melhor sistema.

É baseado nesse levantamento inicial que será realizado o projeto (lembra que no documento também estão descritos os materiais de cada item que faz parte do sistema?). A instalação deverá ser fiel a esse projeto e, portanto, ocorrerá da forma que for mais segura e eficiente. Daí a grande importância dessa ajuda profissional em todas as etapas.

O sistema multicamada ou “PEX” é normatizado?

O sistema de multicamada é formado por tubos, conexões e ferramentas de compressão radial. Assim, ele é fabricado com polietileno reticulado ou PEX, tanto na sua camada externa como interna e, no meio, há alumínio e adesivo entre os materiais.

A norma ISO 17484 –“ Plastics piping systems — Multilayer pipe systems for indoor gas installations with a maximum operating pressure up to and including 5 bar (500 kPa) — Part 1: Specifications for systems” – Sistemas de tubulação em plástico – Sistemas de tubulação multicamadas para instalações de gás internas com pressão máxima de operação até 5 bar (500kPa) – Parte 1: Especificações do sistema, em tradução livre. Não existe ainda uma norma da ABNT, que está em fase de estudo no comitê 09.

Apesar disso é possível utilizar o material desde que o fabricante obedeça essa ISO e o Corpo de Bombeiros local aprove.

OBS: Estamos falando de um material que foi projetado para trabalhar com pressão ABAIXO de 5bar

Esse sistema de multicamada é seguro?

O sistema multicamada tem algumas vantagens. Talvez a maior delas é a facilidade de instalação. O multicamada é instalado como fio elétrico: você sai esticando o material entre dois pontos e corta no comprimento desejado  com cortadores de tubulação simples.

O tubo de ferro preto é exatamente o oposto: leva-se muito tempo para fazer as conexões. Uma instalação típica de tubo de ferro requer um profissional para medir com precisão, cortar e soldar (ou rosquear), é necessário planejar milimetricamente, com antecedência.

Mesmo sendo um material de fácil instalação, vale lembrar que ele requer profissionais qualificados e ferramentas específicas que são caras.

Vale a pena ressaltar que ainda não existe uma NBR que rege sua instalação, já que estamos falando de um material novo no mercado brasileiro.

Tubulação para gás- Quadro comparativo:

Aqui, atribuiremos um conceito para cada material de tubulação, em diversos quesitos, de 1 a 5.

Preço (1 para preço mais baixo, 5 para preço mais elevado):

Tubos:
Cobre –  5
Aço galvanizado –  4
Aço preto –   3
Multicamada – 2

Conexões:
Aço galvanizado – 5
Multicamada – 5
Aço preto – 4
Cobre –  3

Mão de obra
Aço galvanizado – 5
Aço preto – 5
Cobre – 4
Multicamada – 2

Resultado comparativo de preço:
Aço galvanizado – 14
Cobre –  12
Aço preto – 12
Multicamada – 9

Vida útil (1 é a menor vida útil e 5 o que tem maior vida útil)
Cobre – 5
Aço galvanizado – 3
Aço preto – 3
Multicamada – 3

Segurança contra vazamentos (1 é a menos seguro e 5 o mais seguro)
Multicamada – 4
Cobre – 3
Aço galvanizado – 2
Aço preto – 2

Qualificação da mão de obra (1 requer menor qualificação e 5 maior qualificação)
Cobre – 4
Aço galvanizado – 4
Aço preto – 4
Multicamada – 3

Estética em tubulações aparentes (1 é a pior resultado estético e 5 o melhor resultado)
Cobre – 5
Aço galvanizado – 2
Aço preto – 2
Multicamada – 2

Resistência mecânica (1 é o tubo menos resistente e 5 o mais resistente)
Aço galvanizado – 5
Aço preto – 5
Cobre – 3
Multicamada – 3

Os critérios são avaliados nessa ordem?

A resposta é sim e não. Podemos considerar que todos eles são importantes, afinal, de nada adianta escolher o menor custo e precisar recorrer a manutenções precocemente. É aquela velha história de que o barato pode sair caro. Também, não basta escolher o mais caro, acreditando ser o melhor de todos. Como dissemos, o melhor para cada um depende da necessidade e características do seu sistema.

Vida útil, segurança e resistência são igualmente importantes, se pararmos para pensar. Pode ser que você pense que a estética poderia até ficar fora dessa lista. Entretanto, se pensarmos em paisagismo, podemos considerar que a tubulação também precisa ser disposta, de modo que fique em harmonia com o ambiente total do condomínio.

Sendo assim, não existe critério mais ou menos importante. Na prática, todos eles caminham lado a lado, havendo pequenas discrepâncias. Pode ser que, em um primeiro momento, essa questão pareça não fazer sentido. E é por isso que a ajuda profissional é de fundamental importância desde essa etapa.

Quem pode me ajudar com a elaboração da minha tubulação?

O engenheiro que você precisa para ajudá-lo, normalmente atua em empresas de engenharia especializada. Ele é formado na área e será o responsável pelo seu sistema, desde a orientação inicial, até a elaboração do projeto, instalação e testes. Algumas empresas oferecem ainda serviços de manutenções periódicas (em prazos determinados por essa própria empresa ou pelo Corpo de Bombeiros. Assistência técnica em caso de emergência é um diferencial.

Também é importante que a empresa conte com registro no CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia) da sua região e seja bem conceituada no mercado. Experiência e nível de satisfação dos clientes são critérios que precisam ser avaliados.

Conclusão

Em síntese, as opções estão disponíveis no mercado, cada obra deve ser analisada com cuidado por um profissional habilitado.

A Rw Engenharia adota em suas obras o seguinte critério:

Precisa de instalação, manutenção e projeto de gás natural e glp no seu estabelecimento ou condomínio em Belo Horizonte ou Minas Gerais?

Entre em contato com a RW Engenharia!

* visita sem custo para condomínios na região metropolitana de BH

Outros artigos que podem te ajudar: 

>>Cheiro de gás de Cozinha-Aprenda Tudo sobre ele! *Artigo Novo*
 >> Tubulação Aparente de Gás e Água: Saiba tudo sobre elas! 
>> Aprenda Tudo Sobre Detectores de Gás lp
>>Teste de estanqueidade – Saiba tudo sobre ele!
>>Instalação de fogão: Aprenda tudo com a RW Engenharia

 Precisa de instalação de gás- Chame a RW Engenharia! (1)

video de manutenção em gás

10 respostas

  1. Olá. gostei do artigo. não denigre nenhum dos processos construtivos e dá boas informações para a tomada de decisão.

    uma dúvida: pelo exposto, pode-se dizer que o custo de mão de obra para instalações com multicamada são 20% menores que a instalação com tubos de cobre?

    no aguardo

    1. Prezado Ednilson,

      Esse valor pode ser uma referência (20%). Lembre que cada empresa/profissional que define o grau de dificuldade para instalação de cada material.

      Eng. Felipe Wagner

  2. Ola onde consigo treinamento para os sistemas meca ppr pex e cobre que são utilizados na europa, existem treinamento no Brasil ou em São Paulo?

  3. ola Felipe, estamos com orçamento aprovado para tubulação de gás de nosso condominio. não encontro empresa no RJ que faça o serviço com multicamadas.alguma sugestão?
    at
    Eduardo

  4. Boa noite . Sou sindico de um condomínio de 50 anos de idade, 22 apartamentos, um dos condôminos resolveu por conta própria contratar uma empresa para instalação de um novo encanamento de gas que vai do relógio no térreo passa pelo teto da garagem e por fora do prédio pela parede externa vai até o quarto andar
    . O condomino não comunicou ao síndico sobre a instalação e não apresentou os documentos exigidos por lei justificando não ser necessário. Fiz uma denúncia a concessionária do gas Naturgy faz algum tempo até o momento não compareceu no condomínio para vistoriar a instalação de gás. O que devo fazer para tirar a responsabilidade do condomínio, representado pelo síndico?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.